quarta-feira, 1 de maio de 2013

DARIO GUARITA - Por Jonair Nogueira Martins

Agradecendo a ilustre colaboração do Sr. Dario Ferreira Guarita Filho, filho de um dos Comandantes do Batalhão Araçatubense que partiu para a Revolução Constitucionalista, trago abaixo texto do Sr Jonair Nogueira Martins:

                                 foto:Membros  da Sociedade Amigos da Cidade, que em 1944 foram à São Paulo fazer reinvidicações: Antenor Garcia, Carlos Soares de Castro, Prefeito Célio Rodrigues de Araújo Cintra, Dr. Dario Guarita (segurando a bengala), Dr. José Coelho Jr. Claudomiro Walsh Costa e Dr José David Filho. Fonte: História de Araçatuba de Odette Costa Bodstein.


A familia Pinto Ferreira constitui-se de membros de elite da comitiva de D. João VI. A família
Batista Ferreira em 1828 implantou o povoado Jaboticabal-SP. O Arraial Guarita, Município
de Itabaiana-PB, fez cristalizar o nome dos Guarita que em 1817 apoiavam idéias
republicanas. Ao final de 1900, Cesar A. Guarita desposou Edwiges, casal de 12 filhos,
dentre eles Dario, nascido aos 19/05/1905. Aos 21 anos bacharelou-se em direito. Em
março de 1927, assumiu o cargo de 1° Tabelião e Escrivão de Araçatuba, Comarca "Boca
do Sertão". Em 1936 casou-se com Margarida de Almeida e vieram os filhos Cesar Luis,
Sonia Helena e Dario Filho.

Parafraseando: As pessoas poderiam ser como diamantes; puros, transparentes e etemos;
Como foi a vida de Dario Ferreira Guarita.

"Possa o nosso coração ser enterrado na querida e sempre lembrada Araçatuba".
Palavras de Dario Ferreira Guarita ao receber o Titulo de Cidadão Araçatubense, em 1981.

Cumpre-me ressaltar que puseram sobre ombros leves, a tarefa assaz pesada de com
apenas 2500 caracteres sem espaços, produzir crônica sobre uma das mais importantes
biografias da historia Araçatubense. Retrato de uma vida paradigmática no passado que
esta produzindo luminosidade faiscante no atual momento econômico e social da nossa rica
região.

Dr. Dario Ferreira Guarita: Não foi só o 1° Tabelião de Araçatuba (Comarca Boca do
Sertão); Não foi só o Capitão Sub-Comandante do 4° Batalhão do Regimento Nove de
Julho; Não foi só um dos primeiros proprietários de terras que ate os dias atuais produzem
frutos econômicos e sociais (Fazenda Guarita - desde 1918).
Foi o pioneiro em associativismo rural, a época inexistente no Pais, até a efetiva
consolidação com a fundação da Confederação Rural Brasileira. Foi um dos pioneiros a
trazer para a região o gado da raça nelore (1945), e um dos introdutores do capim colonião.


                                                        Capitão Dario Guarita, Sub Comandante do 4º Batalhão do Regimento 9 de Julho. Acervo do Museu Histórico Pedagócico Marechal Cândido Rondon, Araçatuba.

Em 1.951, depois de acirradas críticas ao Planalto Federal sobre o plano federal de
localização dos frigoríficos nacionais, conseguiu juntamente com os pecuaristas da região, a
construção do Frigorifico Tião Maia, que inaugurado em 1957, passara em 1.959, após vencer
concorrêcia internacional, a fornecer carne as Forças Armadas Americanas de ocupação
na Alemanha central.

Foi fundador do Siran-Sindicato Rural da Alta Noroeste. Em 1.965 por indicação da
Associação dos Criadores de Gado Nelore, que ajudara a fundar, foi indicado para a Missão
Parlamentar Brasileira a Índia e Japão. Tal feito o levou a Diretoria do Sindicato da
Indústria de Frios do Estado de São Paulo e do Conselho Representativo da Indústria
Nacional.


Por sua experiência foi incluído na Missão Diplomática e Econômica Brasileira, no ano de
1952, que culminou com a montagem de diversas e importantes indústrias no País:
Volkswagem, Brown Boveri, Manesman, Sulzer, Ciba, Bayer dentre outras.

Dario Ferreira Guarita recebeu a Medalha Comemorativa do Cinquentenário da Revolução
Constitucionalista de 1932 e também a Medalha Comemorativa do Centenário de
Nascimento de Joaquim Batista Ferreira, instituída pela Câmara Municipal de Jaboticabal
para homenagear as conterrâneos mais destacados.

Aposentou-se em 14 de julho de 1968, passando a residir efetivamente na Capital do
Estado, contudo, jamais esqueceu Araçatuba, terra na qual queria que seu coração fosse
enterrado, fazendo suas no seu discurso de agradecimento pelo titulo de cidadão
Araçatubense (1981), as palavras do Índio americano: "Enterrem meu coração na curva
do Rio".

Seu nome esta eternizado em nosso Aeroporto Esladual, contudo, participou ativamente
para que fossem executadas obras do DER, DERSA, DAESP em benefício da região
noroeste.

Para completar meus 2.500 toques, encerro com as palavras de Blaise Pascal:

"A glória e tanto mais tardia quanto mais duradoura há de ser, porque todo fruto delicioso
amadurece lentamente."

Dr Dario Guarita Presidente do Sindicado Rural de Araçatuba



Nenhum comentário:

Postar um comentário